PERSISTÊNCIA DO DUCTO ARTERIOSO – RELATO DE CASO

Autores

  • Lara Vitória Silva
  • Isis Gabrielly Machado

Palavras-chave:

Cardiopatias, cianose, cão

Resumo

A permanência do ducto arterioso por mais de alguns dias após o nascimento caracteriza a persistência de ducto arterioso (PDA), resultando em uma comunicação anormal entre aorta e artéria pulmonar. Pode se apresentar da forma clássica, com desvio da esquerda para direita, ou da forma reversa com desvio da direita para esquerda. O diagnóstico é feito a partir dos sinais clínicos junto à radiografia, eletrocardiografia, ecocardiografia e a angiocardiografia. Este trabalho tem como objetivo relatar um caso de PDA na espécie canina, fêmea, da raça Lulu da Pomerânia, com seis meses de idade, que apresentava cianose, síncope e sopro grau V. A radiografia torácica sugeriu PDA, tendo diagnóstico confirmado pelo ecocardiograma PDA reversa, onde a correção cirúrgica não é indicada.

Downloads

Publicado

2023-09-28

Como Citar

Silva, L. V., & Machado, I. G. . (2023). PERSISTÊNCIA DO DUCTO ARTERIOSO – RELATO DE CASO. ENCICLOPEDIA BIOSFERA, 20(45), 195-200. Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/5696