MONITORAMENTO DA ARBORIZAÇÃO URBANA POR SENSORIAMENTO REMOTO EM UM MUNICÍPIO INSERIDO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

Autores

  • Alana Andrade
  • Rodrigo José Lopes
  • Regina Lúcia Lima
  • Rosimary Moura
  • Claudemiro Lima Júnior

Palavras-chave:

Áreas verdes, Imagens Orbitais, Vegetação arbórea

Resumo

Há muitas formas de se proporcionar interação entre a sociedade no meio urbano,
como os “espaços verdes arbóreos” que são conceituadas como espaço livre
urbano, composto por vegetação arbórea e arbustiva que proporcionam amenização
dos impactos ambientais da urbanização, onde pelo menos 70% da área seja
permeável e acessível à população. Assim, nesse estudo objetivou-se avaliar o uso
do sensoriamento remoto, a partir de imagens de satélite, para caracterizar os
espaços verdes arbóreos de Petrolina, um município inserido no Semiárido
brasileiro. A avaliação foi feita com uso de imagens orbitais, classificadas pela
técnica de segmentação e validadas. A seguir, foram quantificadas as áreas verdes
e calculado o índice de área verde. Nesse cálculo incluem-se todas as áreas verdes,
com plantas nativas ou não, que são consideradas na composição da arborização
na cidade de Petrolina para obtenção do lazer, conforto térmico ou arquitetura
urbanística. O índice mostrou que há 18,827 m² de área verde para cada habitante
da cidade, sendo considerado alto para a realidade da área estudada, e isso ocorre,
devido aos critérios para categorização das chamadas áreas verdes urbanas e das
metodologias para obtenção dos dados. O uso dos sensores teve precisão na
identificação de áreas com solo exposto, asfaltada, com casas (telhados) que
apresentaram contraste bem forte, facilitando a identificação dos aspectos
constantes nos valores dos pixels na imagem satélite.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Andrade, A., Lopes, R. J., Lima, R. L. ., Moura, R. ., & Lima Júnior, C. (2021). MONITORAMENTO DA ARBORIZAÇÃO URBANA POR SENSORIAMENTO REMOTO EM UM MUNICÍPIO INSERIDO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 18(36). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/5267