HISTÓRIA, BIOGEOGRAFIA E ANÁLISE FILOGENÉTICA DOS XENARTHRAS (MAMMALIA)

Autores

  • Lorenna Rezende
  • Murilo Silva
  • Dayane Alcântara
  • Maria Angélica Miglino

Palavras-chave:

Filogenia, biodiversidade, conservação, evolução

Resumo

A inconstância climática que existiu durante as glaciações, alternou ciclos de vida no
gelo e nas florestas. Em razão disto, a fauna e a flora sofreram alterações de forma
e função. A literatura sustenta que os Xenarthras com sua longa e isolada
existência, podem ser a luz para entender a evolução do desenho corporal dos
mamíferos. A superordem Xenarthra agrupa animais de morfologia, comportamento
e habitats completamente diferentes. Cada linhagem divergiu da outra numa taxa
que permitiu a especiação, formatando diferenças fenotípicas. A evolução
morfológica ocorre em taxas altamente variáveis, sendo explicadas adequadamente
pela teoria da genética de populações. Há uma correspondência entre evolução
morfológica e especiação. A história da diversidade biológica sustenta que evolução
é sinônimo de adaptação, e não de complexidade morfológica.

Downloads

Publicado

2010-06-30

Como Citar

Rezende, L. ., Silva, M. ., Alcântara, D. ., & Miglino, M. A. . (2010). HISTÓRIA, BIOGEOGRAFIA E ANÁLISE FILOGENÉTICA DOS XENARTHRAS (MAMMALIA) . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 6(10). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/4655

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)