DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PLANTAS DE GIRASSOL EM CONDIÇÕES DE ESTRESSE HÍDRICO

Autores

  • Severino Sobrinho
  • Rafael Cesar Tieppo
  • Tonny José Silva

Palavras-chave:

Helianthus annus, fitomassa, umidade

Resumo

O trabalho foi desenvolvido na área experimental do Departamento de Agronomia da
Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus de Cáceres, no período de maio a
junho de 2010, objetivando-se avaliar o efeito do estresse hídrico nas cultivares de
girassol Charrua e Olisun 3. O plantio for realizado em vasos contendo Plintossolo e
as sementes plantadas a uma profundidade de 2,0 cm e irrigadas a cada 2 dias. A
evapotranspiração foi determinada a cada 2 dias, antes das irrigações, sendo
realizada por diferenças entre pesagens. Para cada cultivar foi aplicado 5
tratamentos de níveis de água no solo: 100, 90, 80, 70 e 60% da capacidade de
campo, em 4 repetições. Aos 45 dias após a semeadura foram avaliadas as
variáveis fitométrica: diâmetro do caule, altura da planta, número de folhas, área
foliar, massa fresca da raiz e parte aérea e massa seca da raiz e da parte áerea. Os
tratamentos foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado e os
dados de cada cultivar foram avaliados através de regressão polinomial. Para o
estádio inicial de desenvolvimento do girassol, as cultivares expressaram
crescimento satisfatório entre os níveis de 70 a 100% da capacidade de campo. A
cultivar charrua apresentou-se mais tolerante ao déficit hídrico do que a cultivar
olisun 3.

Downloads

Publicado

2011-05-31

Como Citar

Sobrinho, S. ., Tieppo, R. C. ., & Silva, T. J. (2011). DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PLANTAS DE GIRASSOL EM CONDIÇÕES DE ESTRESSE HÍDRICO. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 7(12). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/4485

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>