MORFOANATOMIA FOLIAR DE RUELLIA FURCATA (NEES) LINDAU (ACANTHACEAE)

Autores

  • Mariana Monteiro
  • Elisa Aoyama

Palavras-chave:

Morfologia, Lamiales, Espírito Santo

Resumo

Acanthaceae possui ampla distribuição, com 240 gêneros e 3.250 espécies
ocorrendo pelas regiões tropicais, subtropicais e algumas áreas temperadas onde
possuem pouca representatividade. No Brasil ocorrem aproximadamente 41 gêneros
e 432 espécies principalmente nas formações florestais das regiões Sudeste e
Centro-Oeste. Ruellia L. possui cerca de 250 espécies distribuídas por todo o mundo
sendo um dos maiores gêneros da família, juntamente com Justicia L. Ruellia furcata
(Ness) Lindau, tem hábito herbáceo, ocorre no solo arenoso de restinga,
normalmente associada à ambientes sombreados como interior de moitas, possuem
caules e folhas pilosos, flores de corola branca, frutos com deiscência explosiva e
presença de quatro retináculos. O estudo da morfoanatomia foliar é essencialmente
importante para o entendimento das adaptações das espécies da família, além de
fornecer dados adicionais às características morfológicas externas podendo ser
usados para resolver problemas taxonômicos, desta forma este estudo tem como
objetivo analisar a morfoanatomia foliar de Ruellia furcata e dessa forma contribuir
com o conhecimento acerca dos caracteres morfológicos e anatômicos da espécie e
consequentemente, das Acanthaceae. O material vegetal foi coletado na restinga de
Liberdade, município de São Mateus, Espírito Santo. Para análises morfológicas
foram utilizados 15 indivíduos escolhidos aleatoriamente e analisados os seguintes
parâmetros biométricos: o diâmetro e comprimento do pecíolo, número de folhas,
comprimento e largura do limbo, ângulo foliar e razão entre comprimento e largura
do limbo. Foi realizada igualmente a descrição da morfologia externa da folha.
Foram realizadas também secções anatômicas do limbo e do pecíolo segundo
técnicas usuais de histologia vegetal. Os dados biométricos destacaram os de
ângulo do pecíolo/caule que se mantiveram sem muitas variações, onde as folhas
dos indivíduos analisados assumiram uma posição praticamente horizontal,
permitindo maior captura de raios luminosos. Pode-se observar nas secções
anatômicas um padrão hipoestomático, tricomas glandulares e tectores, presença de
cistólitos e tricomas no mesofilo, pecíolo e nervura central. Os dados obtidos neste
estudo permitem destacar características como a grande quantidade de tricomas da
espécie e a presença de cistólitos, que estão igualmente presente em outras
espécies de Acanthaceae, como de extrema importância para a adaptação da
espécie às condições adversas da restinga, possibilitando futuros estudos em
relação à plasticidade adaptativa de Ruellia furcata.

Downloads

Publicado

2012-06-30

Como Citar

Monteiro, M. ., & Aoyama, E. . (2012). MORFOANATOMIA FOLIAR DE RUELLIA FURCATA (NEES) LINDAU (ACANTHACEAE) . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(14). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3903

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>