O CONSUMO DE CASTANHAS PODE REDUZIR O RISCO DE PROCESSOS INFLAMATÓRIOS E DOENÇAS CRÔNICAS

Autores

  • Izabela Carvalho
  • José Humberto Queiroz
  • Larissa Brito
  • Renata Toledo
  • Agostinho Souza

Palavras-chave:

inflamação, castanhas, compostos bioativos

Resumo

A importância da alimentação é inquestionável na manutenção do bom estado de
saúde e na redução do risco das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), que
muitas vezes resultam de processos inflamatórios crônicos. Estudos epidemiológicos
mostram que o aumento no consumo de alimentos ricos em vitaminas, minerais,
fibras e pobres em gorduras saturadas, gorduras trans, açúcares simples e sódio
influencia positivamente a saúde. Além desses nutrientes, uma nova classe de
substâncias presente nos alimentos vem se destacando pelos seus efeitos benéficos
sobre a saúde: os compostos bioativos, presentes principalmente em alimentos de
origem vegetal. Nesse contexto, o presente trabalho destaca as castanhas,
alimentos ricos em macronutrientes como lipídios e proteínas, e importantes fontes
de compostos bioativos, como substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias. Vale
destacar em relação às castanhas a biodisponibilidade de seus compostos bioativos.
Estudos confirmam que seu efeito benéfico é mais pronunciado quando elas são
ingeridas integralmente do que quando seus compostos são administrados
isoladamente. Esta revisão abordou alguns mecanismos envolvidos no processo
inflamatório, sua relação com as DCNT e possíveis interações entre o consumo de
castanhas e a modulação dos processos inflamatórios pelos seus compostos
bioativos.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Carvalho, I. ., Queiroz, J. H., Brito, L., Toledo, R. ., & Souza, A. . (2012). O CONSUMO DE CASTANHAS PODE REDUZIR O RISCO DE PROCESSOS INFLAMATÓRIOS E DOENÇAS CRÔNICAS. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(15). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3762