MANGUEZAL DO RIO CAMBORIÚ: DADOS PRELIMINARES

Autores

  • Mônica Tognella
  • Rafaela Oliveira

Palavras-chave:

A. schaueriana, L. racemosa, Franja, Estrutura, Decomposição

Resumo

Este estudo foi desenvolvido em uma ilha localizada no estuário do Rio Camboriú
(Balneário Camboriú – SC) com objetivos de caracterização estrutural e de
determinação da taxa de decomposição das folhas das espécies presentes nesta
localidade. Para avaliação estrutural aplicou-se a técnica de parcela fixas dispostas
perpendiculares à inundação e identificou-se a espécie Avicennia schaueriana Stapf
& Leechm. ex Moldenke como dominante e ocorrência de Laguncularia racemosa
(L.) C.F.Gaertn na lateral da ilha com menor influência salina. Para avaliar a taxa de
decomposição foram utilizados sacos de nylon contendo 20 g de folhas de cada
espécie durante outono de 2001 e de 2002. A taxa de decomposição de A.
schaueriana, em 50 e 100 dias, foi de 0,031 g e 0,015 g para 2001 e de 0,017 g e
0,011 g para 2002, respectivamente. Dados de decomposição de L. racemosa foram
obtidos somente em 2002, sendo para 50 e 100 dias, respectivamente de 0,039 g e
0,018 g. Os anos apresentaram diferença significante entre as taxas de
decomposição das duas espécies sendo mais acentuada nos primeiros 50 dias. A
decomposição da matéria orgânica comportou-se similar a bosques localizados em
latitudes menores.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Tognella, M. ., & Oliveira, R. . (2012). MANGUEZAL DO RIO CAMBORIÚ: DADOS PRELIMINARES . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(15). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3750