ABORDAGEM ETNOBOTÂNICA NO TRATAMENTO DE PARASITOSES EM COMÉRCIOS DE FITOTERÁPICOS E NUMA COMUNIDADE RURAL EM UBERLÂNDIA- MG

Autores

  • Talita Belizário
  • Lauana Silva

Palavras-chave:

Plantas medicinais, parasitoses, etnobotânico

Resumo

A utilização de fitoterápicos pode ser uma alternativa no tratamento de parasitoses,
já que visa o equilíbrio e a saúde do organismo afetado por tais infecções. O
presente trabalho teve por objetivo resgatar o conhecimento etnobotânico sobre a
utilização de plantas medicinais no tratamento de doenças parasitárias. O local de
estudo foi o município de Uberlândia, Minas Gerais, onde foram realizadas
entrevistas em casas que comercializam fitoterápicos e com moradores da
comunidade rural Olhos D’ Água do município. Foram evidenciadas a utilização de 6
espécies botânicas com características anti-parasitoses. Nas casas fitoterápicas as
espécies relatadas foram: erva-de-santa-maria (Chenopodium ambrosioides L.),
abóbora (Cucurbita ssp) e batata-de-purga (Operculina macrocarpa L. Urban). Por
sua vez, os moradores da zona rural relataram o uso de espécies como: erva-desanta-maria (Chenopodium ambrosioides), losma (Artemisia absinthium L.), semente
de abóbora (Cucurbita ssp), semente de melancia (Citrullus lanatus) e semente de
mamão (Carica papaya L). A planta mais utilizada, entre todas as relatadas, é a
Chenopodium ambrosioides conhecida popularmente como erva-de-santa-maria. As
partes mais utilizadas das plantas no tratamento de parasitoses são folhas,
sementes e raízes, preparadas comumente por decocção. Os moradores da zona
rural obtêm as plantas dos próprios quintais ou de vegetações nativas e as casas
fitotérapicas adquirem as plantas na forma desidratada.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Belizário, T. ., & Silva, L. . (2012). ABORDAGEM ETNOBOTÂNICA NO TRATAMENTO DE PARASITOSES EM COMÉRCIOS DE FITOTERÁPICOS E NUMA COMUNIDADE RURAL EM UBERLÂNDIA- MG . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(15). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3739