QUALIDADE DO CAFÉ ‘CONILON’ SOB DIFERENTES FORMAS DE SECAGEM

Autores

  • Patrícia Pinheiro
  • Adilson Costa
  • Vagner Queiroz
  • Larissa Alvarenga
  • Fábio Luiz Partelli

Palavras-chave:

Coffea canephora, processamento, parâmetros físicoquímicos

Resumo

O café conilon (Coffea canephora), também conhecido como robusta,
participa em torno de 25,4% de café beneficiado no Brasil. Entretanto, informações a
respeito do processamento desse café e dos fatores que influenciam à qualidade do
produto final são escassas. Dentre as etapas que estão diretamente ligadas a
qualidade do café destaca-se a secagem, que quando mal conduzida compromete
as características do produto, diminuindo sua valorização. Diante destes fatos,
estudar a possível relação entre a qualidade e os principais tipos de secagem do
café conilon foi o principal objetivo deste trabalho. Para isso foram usadas amostras
de café conilon secas em terreiro comum (T), terreiro de cimento suspenso coberto
com estufa (TSE) e secador rotativo pelo método direto (SR), as quais foram
submetidas a testes de condutividade elétrica, lixiviação de potássio, determinação
da acidez titulável total, acidez graxa e teores de açúcares (redutores, não-redutores
e totais). As amostras TSE apresentaram os menores valores de condutividade
elétrica, de lixiviação de potássio, de acidez titulável total e os maiores teores de
açúcares redutores, esses parâmetros apontam uma maior qualidade para cafés
secos em terreiro de cimento suspenso coberto com estufa.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Pinheiro, P. ., Costa, A. ., Queiroz, V., Alvarenga, L. ., & Partelli, F. L. . (2012). QUALIDADE DO CAFÉ ‘CONILON’ SOB DIFERENTES FORMAS DE SECAGEM . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(15). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3716