MODELAGEM GEOESTATÍSTICA DA DINÂMICA ESPACIAL DA ALTURA DOMINANTE DE Tectona grandis L.f. (TECA)

Autores

  • Allan Pelissari
  • Sidney Fernando Caldeira
  • Ronaldo Drescher
  • Vanderley Santos

Palavras-chave:

variabilidade espacial, geoestatística, krigagem

Resumo

O conhecimento das variabilidades espacial e temporal dos fatores que afetam o
desenvolvimento dos povoamentos florestais permite realizar intervenções precisas,
para obter o máximo rendimento de acordo com as potencialidades dos sítios
florestais. Assim, o objetivo do presente trabalho foi aplicar a geoestatística para
caracterizar a dinâmica espacial da altura dominante em um povoamento
homogêneo de teca, em Mato Grosso, Brasil. Para a coleta de dados, foram
alocadas de forma sistemática 46 parcelas permanentes de 15 m x 30 m e obtidos
os valores médios da altura dominante nas idades de dois a nove anos. Foi utilizada
a análise geoestatística e modelos de semivariogramas para descrever os padrões
espaciais, com a seleção dos melhores ajustes determinada segundo o coeficiente
de determinação e a validação cruzada. A interpolação e a espacialização foram
realizadas pelo método da krigagem ordinária pontual. A distribuição espacial da
altura dominante da teca, elaborada por meio da geoestatística, apresenta precisão
estatística e diferentes padrões e dinâmicas espaciais, essenciais para a avaliação
da capacidade produtiva do sítio florestal e para a definição de zonas homogêneas
de manejo e de adoção de práticas silviculturais de precisão durante o ciclo de
produção da cultura.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Pelissari, A. ., Caldeira, S. F. ., Drescher, R. ., & Santos, V. . (2012). MODELAGEM GEOESTATÍSTICA DA DINÂMICA ESPACIAL DA ALTURA DOMINANTE DE Tectona grandis L.f. (TECA). ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(15). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3696