EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE ALUMÍNIO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PLANTAS DE GIRASSOL

Autores

  • Wallace Nascimento
  • Kleber Pereira
  • Patrícia Santos
  • Carlos Henrique Santos

Palavras-chave:

Helianthus annuus, toxidez, alumínio, desenvolvimento

Resumo

O girassol é uma planta muito sensível à acidez do solo, não tolerando, de modo
geral, saturação por alumínio (Al) trocável superior a 5 %. Nessas condições o
desenvolvimento radicular é drasticamente afetado reduzindo a capacidade das
plantas de explorar maior volume de solo, consequentemente de água e nutrientes.
O objetivo deste trabalho foi avaliar a tolerância de girassol a diferentes
concentrações de alumínio. O experimento foi conduzido em casa de vegetação do
Centro de Ciências Agrárias Ambientais e biológicas da UFRB. Utilizaram-se
recipientes com capacidade para 2 dm³, sendo o substrato a areia lavada contendo
uma planta por vaso. Os tratamentos constaram de diferentes doses de fonte de
alumínio o AlCl3 nas concentrações de: T1 = 0,0 mg L-1(controle), T2 = 13,5 mg L-1,
T3 = 27 mg L-1, T4 = 54 mg L-1 e T5 = 108 mg L -1. Foram avaliados: altura das
plantas, comprimento de raiz, massa seca de parte aérea e massa seca de raiz. O
alumínio mostrou-se deletério ao desenvolvimento do girassol a partir da menor
dose testada (13,5 mg L). À medida que se elevou a concentração das doses de
alumínio, houve linearmente redução das variáveis observadas.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Nascimento, W., Pereira, K. ., Santos, P. ., & Santos, C. H. . (2012). EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE ALUMÍNIO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PLANTAS DE GIRASSOL. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(15). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3650

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)