DIAGNÓSTICO DE REMANESCENTE FLORESTAL NATIVO NA ÁREA DE INFLUÊNCIA DIRETA DA USINA SANTA VITÓRIA, NA REGIÃO DO TRIÂNGULO MINEIRO- MG

Autores

  • Amilton Alves Filho
  • Reginaldo Camargo
  • Cristiane Paula
  • Alexssandre Carvalho
  • Kamila Alves

Palavras-chave:

Uso do solo, Vegetação natural, áreas de preservação permanente

Resumo

O processo de ocupação da região do Triângulo Mineiro e, especificamente, na área
destinada à instalação da Usina Santa Vitória, teve como resultado não somente a
geração de riquezas, mas, sobretudo, a contribuição para o déficit da cobertura
florestal nativa. O presente trabalho teve como objetivo identificar o uso e a
ocupação do solo através de imagens de satélite, quantificando o remanescente
florestal nativo na área de interesse da Usina. Para isso, foi realizada uma revisão
bibliográfica concernente ao tema e, ainda, utilizou-se um software de
geoprocessamento para mapear a área através das imagens orbitais cedidas pela
Usina. Em conseqüência, apurou-se que na área de influência direta da Usina, que
somam 208.200 hectares, os remanescentes florestais nativos existentes ocupam
10,07% da área em estudo; e a atividade principal desenvolvida é a pecuária
extensiva. Em relação às áreas de preservação permanente, apenas 10,7% se
encontram preservadas. As demais áreas estão com uso bastante diversificados,
sendo que a atividade agropecuária ocupa 76,5%. Dessa forma, converge-se ao
entendimento que é indispensável à implementação de políticas ambientais voltadas
para a recuperação de áreas degradadas, para os sistemas de manejo
conservacionistas e, buscando ainda, uma contraprestação para os serviços
ambientais prestados.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Alves Filho, A. ., Camargo, R. ., Paula, C. ., Carvalho, A. ., & Alves, K. . (2012). DIAGNÓSTICO DE REMANESCENTE FLORESTAL NATIVO NA ÁREA DE INFLUÊNCIA DIRETA DA USINA SANTA VITÓRIA, NA REGIÃO DO TRIÂNGULO MINEIRO- MG . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(15). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3644

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)