CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DO SOLO NA ÁREA EXPERIMENTAL AG1 (HORTICULTURA) DO INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS CATU

Autores

  • Taislane Carneiro
  • Vânia Moraes
  • Tâmara Ingrid Lima
  • Ronaldo Santos
  • Gessionei Santana

Palavras-chave:

física do solo, manejo do solo, caracterização

Resumo

Em 1918, o Governo Estadual fez doação ao Governo Federal de terrenos,
casas e outras benfeitorias que o Estado possuía no município de Catu, para ser
instalada uma Fazenda Modelo de Criação, e em 05 de maio de 1964 foi criado o
Colégio Agrícola de Catu. Em 29 de Dezembro de 2008, a Lei Federal 11.892 cria os
Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs). Estabelece a
integração das Escolas Agrotécnicas Federais de Catu, de Guanambi (Antonio José
Teixeira), de Santa Inês e de Senhor do Bonfim criando assim o Instituto Federal
Baiano (IF-Baiano), (BRASIL, 2010). Durante décadas, a escola prezou pela
produção vegetal e animal, e atualmente, começou a desenvolver a pesquisa,
inclusive na área agrária, sem, contudo, dispor de informações a respeito de seus
solos. Assim sendo, fez-se necessário o estudo de caracterização dos solos do IF
Baiano - Campus Catu, visto que, são subsídios para diversos outros setores. O
trabalho teve objetivo analisar o comportamento da resistência mecânica à
penetração do solo relacionando com as principais propriedades físicas de solos da
área experimental AG1 (horticultura) do Instituto Federal Baiano Campus Catu.
Foram realizadas análises físicas do solo (granulometria, porosidade total, micro e
macroporosidade, densidade de partículas e do solo, umidade gravimétrica, através
do manual de métodos da EMBRAPA (1997) com amostras coletadas em duas
profundidades (0-20 cm e 20-40 cm), também foi determinada a resistência à
penetração do solo em campo, mediante uso de um penetrômetro de impacto
convencional, o qual atinge uma profundidade de 60 cm. Nas duas profundidades
foram encontrados duas classes texturais, franco arenosa e franco argilo arenosa,
considerados normais, A resistência a penetração do solo foi considerada
intermediária baixa, não sendo considerado como crítico para a penetração das
raízes.

Downloads

Publicado

2012-11-30

Como Citar

Carneiro, T. ., Moraes, V. ., Lima, T. I. ., Santos, R. ., & Santana, G. . (2012). CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DO SOLO NA ÁREA EXPERIMENTAL AG1 (HORTICULTURA) DO INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS CATU. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 8(15). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3613

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)