UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA DE RASPADO PARA DETECÇÃO DE METÁSTASES EM MASTECTOMIAS CANINAS

Autores

  • Juliano Marangoni
  • Priscila Cintra
  • Sabryna Calazans
  • Geórgia Magalhães

Palavras-chave:

cães, cirurgia, margens cirúrgicas, neoplasias mamárias

Resumo

As neoplasias mamárias caninas apresentam alta frequência de malignidade e há preocupações para avaliações de margens cirúrgicas para relacionar-se com a metástase. O objetivo dos autores foi testar a técnica de raspado durante o transcirúrgico e comparar com os diagnósticos histopatológicos que foram obtidos nessas neoplasias. Foram utilizadas 9 cadelas, sendo que algumas apresentavam nódulos múltiplos, totalizando 15 raspados. Dos 15, em dois observou-se presença de células epiteliais neoplásicas, sendo que um deles houve ruptura de um nódulo cístico. O outro caso de presença de células neoplásicas no raspado foi relacionado com a característica macroscópica de aderência com o subcutâneo. Houve um caso de metástase em linfonodo que foi negativo no raspado. O diagnóstico definitivo das neoplasias mamárias é caracterizado pelo exame histopatológico, sendo que a citologia apresenta boa correlação e é indicada por alguns autores. Não foram encontrados estudos relacionados ao raspado, porém nesse estudo sugere-se o uso dessa técnica quando a neoplasia estiver aderida no espaço subcutâneo.

Downloads

Publicado

2013-12-01

Como Citar

Marangoni, J. ., Cintra, P. ., Calazans, S., & Magalhães, G. . (2013). UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA DE RASPADO PARA DETECÇÃO DE METÁSTASES EM MASTECTOMIAS CANINAS. ENCICLOPEDIA BIOSFERA, 9(17). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3226

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>