LEVANTAMENTO ETNOBOTÂNICO NO MUNICIPIO DE ALTA FLORESTA, MATO GROSSO, BRASIL

Autores

  • Danieli Aline Ruzza
  • Valdecir Göttert
  • Ana Aparecida Rossi
  • Juliana Dardengo
  • Ivone Silva

Palavras-chave:

Amazônia, conhecimento popular, plantas medicinais

Resumo

No Brasil, a medicina popular não está limitada apenas a comunidades tradicionais,
mas é praticada também por moradores da zona rural e outras comunidades
urbanas. Com o objetivo de realizar o levantamento das plantas medicinais utilizadas
pelos moradores dos Bairros Jardim Panorama e Jardim Primavera do município de
Alta Floresta – MT foi realizado um questionário com 160 moradores. Dos
entrevistados, 80,3% utilizam plantas com fins medicinais, sendo a maioria do sexo
feminino (81,9%). A maioria dos moradores que fazem uso das plantas tem idade
entre 30 e 80 anos. Quanto ao tempo de reação no uso de chás, 43,1% dos
entrevistados afirmam que os primeiros efeitos aparecem após algumas horas e
54,6% dos moradores afirmaram adquiriras plantas nos próprios quintais. O presente
estudo apresentou maior diversidade de Shannon-Wiener do que outros trabalhos
realizados em área de Mata Atlântica. Foi registrado um total de 106 espécies de
plantas medicinais utilizadas pelos moradores dos bairros Jardim Panorama e
Jardim Primavera, indicadas principalmente para tratar problemas das vias
respiratórias, infecções, problemas gastrointestinais, além de utilização como
vermífugo, calmante e analgésico. Houve maior prevalência pelo chá em infusão
como forma de preparo. A parte aérea da planta é a mais utilizada para os chás.

Downloads

Publicado

2014-07-01

Como Citar

Ruzza, D. A. ., Göttert, V. ., Rossi, A. A. ., Dardengo, J. ., & Silva, I. . (2014). LEVANTAMENTO ETNOBOTÂNICO NO MUNICIPIO DE ALTA FLORESTA, MATO GROSSO, BRASIL. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 10(18). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/2928

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>