IMPORTÂNCIA DO OÍDIO EM PLANTAS CULTIVADAS: ABORDAGEM EM FRUTÍFERAS E OLERÍCOLAS

Autores

  • Olienaide Pinto
  • Thiago Honorato
  • Joilson Lima
  • Ciro Pinto

Palavras-chave:

Controle de doenças, Oidium sp., Parasita obrigatório, Patógeno-hospedeiro, Problemas fitossanitários

Resumo

O oídio, doença causada pelo fungo Oidium sp., até pouco tempo era considerada
secundária pelos produtores de várias fruteiras como mangueira, videira, cajueiro,
Spondias, entre outras. Nas olerícolas, esta doença vem causando danos tanto em
cultivos de ambiente protegidos como também em condições de campo. No entanto,
nos últimos anos, ela vem ocasionando perdas em várias culturas, sendo constatado
o aumento gradual de danos irreparáveis, nas folhas, nas flores, e nos frutos,
comprometendo o seu valor comercial. O sintoma do oídio é a formação de um
revestimento ralo, branco acinzentado e pulverulento sobre o limbo foliar,
assemelhando-se a cinza vegetal. Nas olerícolas a doença incide sobre os órgãos
verdes da planta, principalmente ramos, pecíolos e folíolos. Os sintomas mais
comuns são as lesões verde-claras a amarelo intenso que surgem na página inferior
das folhas. No centro destas lesões podem desenvolver-se pontos necróticos
formando por vezes anéis concêntricos. Muito raramente desenvolve-se um
crescimento fúngico de aspecto aveludado acinzentado, o micélio. Em algumas
olerícolas como tomate, melão, melancia quando severamente atacada sofre uma
elevada desfoliação que torna o fruto mais susceptível à escaldadura e a
irregularidades na maturação do fruto. De uma forma geral, o ambiente pode
influenciar o crescimento do oídio, a suscetibilidade da planta hospedeira, a
multiplicação, a disseminação, a sobrevivência e as atividades do patógeno, assim
como a interação entre a planta hospedeira e o patógeno. O controle químico é uma
forma para controlar os ataques de oídio, nesse contexto, devem-se utilizar medidas
preventivas de forma a reduzir as possibilidades de instalação do fungo. Por outro
lado, o controle alternativo é uma medida não poluente, aplicada preventivamente,
visando à redução da intensidade da doença e ao aumento da produção, da
produtividade e da qualidade dos produtos agrícolas.

Downloads

Publicado

2014-07-01

Como Citar

Pinto, O. ., Honorato, T. ., Lima, J. ., & Pinto, C. . (2014). IMPORTÂNCIA DO OÍDIO EM PLANTAS CULTIVADAS: ABORDAGEM EM FRUTÍFERAS E OLERÍCOLAS . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 10(18). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/2806

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>