ERGONOMIA E SEGURANÇA NA COLHEITA FLORESTAL: UMA REVISÃO ANTE A NR 17 E A NR 31

Autores

  • Hassan David
  • Nilton César Fiedler
  • Luiza Baum

Palavras-chave:

Acidentes no trabalho, Normas regulamentadoras, Posto de trabalho, Saúde ocupacional

Resumo

O trabalho é uma revisão de literatura cujo objetivo foi analisar as condições
ergonômicas e de segurança de operadores de máquinas florestais e de motosserra,
relacionando-as com a NR 17 e a NR 31. Para a discussão, foram selecionados
vinte artigos científicos publicados em periódicos latino-americanos, sendo dez deles
tratando sobre a colheita mecanizada e dez sobre a semimecanizada. Foi
constatado que a colheita semimecanizada propicia riscos à saúde, devido à adoção
de posturas inadequadas e ao alto esforço físico, derivando em patologias ligadas à
coluna vertebral, como lombalgia e hérnia de disco. A colheita conduzida por
empresas terceirizadas, ou pelo produtor florestal, tende a negligenciar a NR 17 e a
NR 31. O operador de máquinas está sujeito a patologias como LER/DORT, além de
estresse e doenças psicossociais. Máquinas importadas são ergonomicamente
inadequadas para os operadores brasileiros. Como conclusão, a colheita florestal
necessita de supervisões no sentido de manter conformidade à NR 17 e à NR 31.

Downloads

Publicado

2014-07-01

Como Citar

David, H. ., Fiedler, N. C. ., & Baum, L. . (2014). ERGONOMIA E SEGURANÇA NA COLHEITA FLORESTAL: UMA REVISÃO ANTE A NR 17 E A NR 31 . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 10(18). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/2776