EFICIÊNCIA DO CONTROLE QUÍMICO EM SEMENTES DE ALGODOEIRO INOCULADAS COM RHIZOCTONIA SOLANI

Autores

  • Priscila Braghin
  • Dejânia Araujo
  • Mariana Batistti
  • Willian Krause
  • Leonardo Diogo Dias
  • Hugo Henrique Rosa

Palavras-chave:

inoculação, patologia de sementes, tratamento de sementes

Resumo

O tratamento de sementes é uma medida de controle na redução de inóculo de
patógenos em plantas. O objetivo do trabalho foi avaliar a eficiência de tratamento
fungicida no controle da Rhizoctonia solani em sementes de algodão. As sementes
foram inoculadas utilizando-se a técnica da restrição hídrica, em dois tempos de
exposição das sementes ao fungo (24 e 48 h) e tratatas com doses de fungicidas
usados em mistura. Os tratamentos foram piraclostrobina + tiofanato metílico +
fipronil (T1: sem controle, T2: 1,25 g de piraclostrobina + 11,25 g de tiofanato
metílico + 12,5 g de fipronil; T3: 1,87 g de piraclostrobina + 16,87 g de tiofanato
metílico + 18,75 g de fipronil e T4: 2,5 g de piraclostrobina + 22,5 g de tiofanato
metílico + 25 g de fipronil por hectare). Em ambos os ensaios foram avaliados a
germinação e sanidade de sementes, vigor com base no comprimento e massa
seca de parte aérea e de raiz, a emergência e o IVE no campo. O potencial de
inóculo de Rhizoctonia solani nas sementes de algodoeiro influenciou na eficiência
de piraclostrobina + tiofanato metílico + fipronil. Contudo, em condições naturais de
infecção, esse potencial de inóculo pode não ser tão elevado, ficando restrito às
camadas mais superficiais da semente, onde o produto pode agir com maior
eficiência.

Downloads

Publicado

2014-07-01

Como Citar

Braghin, P. ., Araujo, D. ., Batistti, M. ., Krause, W. ., Dias, L. D. ., & Rosa, H. H. . (2014). EFICIÊNCIA DO CONTROLE QUÍMICO EM SEMENTES DE ALGODOEIRO INOCULADAS COM RHIZOCTONIA SOLANI . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 10(18). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/2770

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>