DESINFESTAÇÃO E GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PIMENTA-DO-REINO (Piper nigrum L.)

Autores

  • Carla Effegem
  • Andréia Gontijo
  • Alex Campanharo
  • Ivoney Gontijo

Palavras-chave:

hipoclorito de sódio, Fusarium solani, patógenos

Resumo

Um dos empecilhos na produção da pimenta-do-reino é a doença fusariose,
manifestada por meio do fungo Fusarium solani f. sp. piperis. Protocolos de
desinfestação de sementes são desenvolvidos para proporcionar assepsia,
qualidade das plantas e aumento na cadeia produtiva. Assim, a propagação in vitro a
partir de sementes apresenta-se como forma viável de produção na tentativa de
produzir plantas sadias livres de patógenos. Objetivou-se no presente trabalho
desenvolver um protocolo para desinfestação de sementes de pimenta-do-reino
visando sua introdução in vitro por meio de sementes. Os tratamentos de
desinfestação testados variaram com relação ao tipo e concentração do agente
desinfestante. Taxas de germinação satisfatórias foram alcançadas quando as
sementes foram submetidas no álcool 70% por 1 minuto, 100 % de hipoclorito de
sódio por 15 minutos e fungicida Cercobin por 10 minutos e posterior lavagem em
água estéril. Nesta condição também foram apresentadas as menores taxas de
contaminação, não sendo observada a presença de fungos, o que demonstra a
eficiência desses agentes na assepsia das sementes. As sementes desinfestadas
com hipoclorito de sódio na concentração de 100% e 1,0 g L-1 de fungicida Cercobin
por 10 minutos favoreceram as menores porcentagens de contaminação pelo fungo
Fusarium solani f. sp. piperis.

Downloads

Publicado

2014-07-01

Como Citar

Effegem, C. ., Gontijo, A. ., Campanharo, A. ., & Gontijo, I. . (2014). DESINFESTAÇÃO E GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PIMENTA-DO-REINO (Piper nigrum L.) . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 10(18). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/2748