HÉRNIA INGUINAL DIRETA EM CÃO MACHO NÃO CASTRADO. RELATO DE CASO

Autores

  • Talita Borges
  • Ana Maria Quessada
  • Rallyson Ramon Lopes
  • João Costa Neto
  • Pedro Henrique Rufino

Palavras-chave:

anel inguinal, bexiga, canino, ectopia, herniação

Resumo

Em cães, as hérnias inguinais se formam quando um órgão ou um tecido se insinua através do canal inguinal. A enfermidade é mais comum em cadelas, no entanto pode acometer os machos. Nestes casos a hérnia inguinal pode ser indireta, quando o conteúdo herniário se aloja no saco escrotal, e direta quando o conteúdo permanece na região inguinal sem progredir para a bolsa escrotal. Este último tipo é raro em cães, principalmente em animais não castrados. A etiologia, na maioria das vezes, é desconhecida. O principal sinal clínico é o aumento de volume, sendo que o diagnóstico é confirmado por exames de imagem. O tratamento é cirúrgico, geralmente com bons resultados. Descreve-se um caso de hérnia inguinal direta em um cão inteiro. O animal foi atendido em um Hospital-escola, com aumento de volume inguinal. A ultrassonografia confirmou a suspeita de hérnia inguinal revelando a bexiga como conteúdo. Foi realizada a herniorrafia associada à orquiectomia bilateral. O animal se recuperou completamente. 

Downloads

Publicado

2014-12-01

Como Citar

Borges, T. ., Quessada, A. M. ., Lopes, R. R. ., Costa Neto, J., & Rufino, P. H. . (2014). HÉRNIA INGUINAL DIRETA EM CÃO MACHO NÃO CASTRADO. RELATO DE CASO . ENCICLOPEDIA BIOSFERA, 10(19). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/2346

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>