RESISTÊNCIA DO SOLO À PENETRAÇÃO EM ÁREAS SOB O SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA, NA REGIÃO AMAZÔNICA

Autores

  • Benhur Oliveira
  • Marco Antonio Carvalho
  • Anderson Lange
  • Rivanildo Dallacort
  • Valvenarg Silva

Palavras-chave:

Agrossilvipastoril, Floresta, iLPF, Sistemas integrados

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo avaliar a resistência do solo à penetração
(RSP) em um sistema de integração lavoura-pecuária-floresta. O desenvolvimento
da pesquisa ocorreu em uma Unidade de Referência Tecnológica de integração
lavoura-pecuária-floresta implantada em 20 hectares da Fazenda Gamada, no
município de Nova Canaã do Norte, Mato Grosso. O delineamento utilizado foi o
inteiramente casualizado em arranjo fatorial (6 x 2 x 8), sendo seis tratamentos
(usos): Pinho Cuiabano, Pau-balsa, Teca, Eucalipto, solos sob vegetação nativa e
pastagem no sistema convencional, dois locais de avaliações, entre os renques
florestais e na faixa de pastagem, e oito profundidades (em secções de 0,05 m até a
profundidade de 0,40 m do solo), com três repetições. Os maiores valores de RSP
foram observados nos tratamentos: Eucalipto, Teca e Pastagem convencional,
apresentando respectivamente 7,97; 5,63 e 5,12 MPa, sendo estes os tratamentos
que apresentaram os menores percentuais de umidade do solo, acrescidos pelo
tratamento Pau-balsa com 19,85% de umidade, o qual apresentou menor taxa de
umidade entre os tratamentos. Acrescenta-se que a baixa umidade do solo e a
pressão exercida pelo pisoteio dos animais e impedimento físico (raízes), foram
condicionantes para os elevados valores de RSP.

Downloads

Publicado

2015-12-01

Como Citar

Oliveira, B. ., Carvalho, M. A. ., Lange, A. ., Dallacort, R. ., & Silva, V. . (2015). RESISTÊNCIA DO SOLO À PENETRAÇÃO EM ÁREAS SOB O SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA, NA REGIÃO AMAZÔNICA . ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 11(22). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/1622

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>