ETIOPATOGENIA DA UROLITÍASE EM CÃES

Autores

  • Paula Ariza
  • Aline Maria Lima
  • Layla Livia Queiroz
  • Maria Clorinda Fioravanti

Palavras-chave:

cálculo urinário, canino, patogenia

Resumo

A urolitíase é comum na clínica de cães e os casos de recidivas são frequentes.
Decorre do desenvolvimento de urólitos no trato urinário e pode levar a alterações
graves, como obstruções do fluxo urinário. Diversos fatores, sejam hereditários,
congênitos ou adquiridos, podem estar envolvidos no desenvolvimento dos cálculos
urinários. Os urólitos que mais frequentemente acometem animais da espécie canina
são aqueles formados de estruvita, oxalato de cálcio, urato, cistina, fosfato de cálcio,
xantina e sílica. No entanto, cálculos urinários com outras composições como de 2,8-
diidroxiadenina podem acometer menos frequentemente animais dessa espécie. O
conhecimento dos mecanismos que ocasionam a formação e o desenvolvimento dos
diferentes tipos de urólito permite a instauração de protocolos de tratamento
específicos mais eficientes e que reduzam a possibilidade de ocorrência de
recidivas.

Downloads

Publicado

2015-12-01

Como Citar

Ariza, P. ., Lima, A. M. ., Queiroz, L. L. ., & Fioravanti, M. C. . (2015). ETIOPATOGENIA DA UROLITÍASE EM CÃES. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 11(22). Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/1546

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>